No Brasil, temos a crença de que a limpeza com o álcool é a melhor opção para uma limpeza completa, tanto para empresas quanto residências.

Isso ocorre pelo fato dele ser utilizado principalmente em hospitais e clínicas como um produto desinfetante e antisséptico com grande poder microbicida e germicida.

As pessoas então, com essa informação, somada a falta de conhecimento sobre o assunto, acreditam que o álcool possui capacidade superior de limpeza. Entretanto, esta crença não passa de um mito.

O álcool é um produto que traz sérios riscos para a saúde, além de não ser tão eficiente quanto se imagina.

Quer saber como? Fique conosco e leia os 5 motivos para você não usar o álcool como produto de limpeza.

  1. Limitações na limpeza, assepsia e desinfecção

O álcool, para ser eficiente na desinfecção, precisa ser de concentração 70%. O que significa: menos água em sua composição e maior facilidade para penetrar na célula das bactérias para eliminá-las.

Qualquer concentração acima ou abaixo desta, não é capaz de desinfetar profundamente.

Além disso, para que este produto realmente funcione, é necessário respeitar o seu tempo de aplicação. Bem como fazer movimentos de fricção durante a aplicação.

Se qualquer uma dessas questões não forem respeitadas, o álcool perde a sua função de desinfecção e assepsia. Assim resultando na perda do produto, tempo e dinheiro.

  1. Danifica materiais

Este produto também não deve ser utilizado em alguns tipos de materiais. Pois, com o tempo, acaba por diminuir a vida útil dos mesmos resultando em: ressecamento, perda da elasticidade e também a opacidade.

Dentre tais materiais, cita-se alguns tipos de borrachas, plástico, acrílico e equipamentos eletrônicos.

Portanto, não devemos utilizar o álcool para limpeza de qualquer acessório, equipamento ou superfície que contenha, pelo menos, um dos itens citados acima.

A utilização em tais materiais, além de diminuir o tempo de vida dos itens, também resulta em uma perda de dinheiro. Já que as trocas, substituições e compras serão necessárias com maior frequência.

  1. Apresenta risco para a saúde

De acordo com a Revista Brasileira de Queimadura, o Brasil é um dos países que mais utiliza o álcool como desinfetante e antisséptico. Além de outras atribuições, como acender churrasqueira. E o seu uso está relacionado aos elevados índices de acidentes com queimaduras.

Sua facilidade de compra em supermercados e farmácias sem qualquer restrição, somada a falta de informação a respeito da sua fácil combustão e a fragilidade das embalagens do produto. Formas os principais responsáveis por acidentes em ambientes domésticos e até corporativos.

De acordo com uma avaliação da Proteste, uma chama de 26 graus de temperatura é suficiente para levar o álcool a combustão. E, a versão líquida do produto se alastra mais rapidamente pelo corpo e ambiente, agravando os acidentes.

  1. Não possui um bom custo-benefício

Apesar do álcool não ser um dos produtos mais caros nas gôndolas dos supermercados, ele não possui o melhor custo-benefício para empresas, quando se deseja uma limpeza profissional eficiente.

Como poucas pessoas o utilizam da maneira correta, o resultado é um grande desperdício para a empresa. Além disso, há no mercado produtos voltados para a limpeza profissional que, além de limpar e desinfetar de maneira mais eficiente, geram uma economia.

detergente

Detergente garra

Para se entender, citamos como exemplo o comparativo entre o álcool e um produto comercializados por nós chamado: Garra Oxiativo. O primeiro, custa em média de R$ 3,00 a R$ 5,00 o litro. Já o Garra Oxiativo tem um custo, já diluído, que reduz em até 90% o preço do litro. Além de não fazer mal à saúde.

  1. Não tem um grande poder de limpeza

Apesar da fama de um bom limpador, é fácil entender que a ação limpeza ocorre somente durante a existência do produto no pano utilizado em conjunto.

Uma vez que a evaporação dele é muito rápida, fica evidente o baixo poder de limpeza do mesmo.

Sabemos que o álcool é um solvente que remove eficientemente gorduras e oleosidades. Mas grandes volumes dele seriam necessários para realmente realizar a limpeza com qualidade

 Conclusão

A limpeza profissional é de suma importância para um negócio. Entretanto o álcool, ao contrário do que a maioria das pessoas acreditam, não é a melhor opção para uma limpeza eficiente.

Ele ainda tem importância para hospitais, clínicas e demais estabelecimentos da área da saúde, para a desinfecção e assepsia de equipamentos, mãos e outros itens utilizados. Tais como forma de combater a transmissão de microrganismos que podem causar a infecção. Entretanto, não é indicada como único produto para a limpeza profissional.

No entanto na desinfecção de superfícies hospitalares esta cada vez mais em desuso. Especialmente nos hospitais de referência, uma vez que produtos mais eficazes como o Optigerm da Oleak tem uma ação mais rápida e segura nesses ambientes.

 

Fontes

ange this text.