Álcool Gel

Um dos produtos mais conhecidos para a limpeza das mãos, depois dos sabonetes, é o álcool gel antisséptico. O produto elimina bactérias da pele, diminuído o risco de infecções.

Pode ser utilizado em diferentes ocasiões e estabelecimentos, mas no caso de hospitais e serviços de saúde, seu uso deve ser ainda mais intenso para evitar a transmissão de infecções hospitalares.

Entretanto, apesar do seu alto poder de desinfecção das mãos, ele ainda não é tão utilizado quanto deveria por pessoas e empresas dos mais variados segmentos, inclusive alguns da saúde.

Por isso, trouxemos neste artigo as 4 principais justificativas utilizadas por pessoas que não utilizam tanto o álcool gel quando deveriam. Bem como as soluções para tais problemas. Vem descobrir.

1 – Não uso Álcool gel por que ele resseca as mãos

Esta crença que funciona mais como uma justificativa para a não utilização do álcool é parcialmente falsa.

Isso porque, dependendo da escolha do produto e da marca utilizada, pode sim ressecar as mãos. Especialmente das pessoas que o utilizam muitas vezes ao dia, como em serviços de saúde.

Entretanto, esta não é uma regra geral, e já há no mercado alguns produtos que possuem loções hidratantes em suas formulas, para evitar tal ressecamento.

O Álcool Gel Optcare certamente é ideal para conciliar a higiene + hidratação.

2 – Não uso porque faltam dispensers de qualidade e em quantidade apropriada nos ambientes que frequento.

Muitas empresas, acreditam dispensers são todos iguais em relação a qualidade, devido aos inúmeros problemas que vivenciam em seus ambientes. Entretanto, isso não passa de uma crença errônea.

Geralmente, tais empresas não procuram um dispenser compatível com o refil do álcool gel que utilizam e, desta forma, acabam tendo diversos problemas com seus suportes.

Por exemplo: ao acionar o botão do dispenser, não sai uma boa quantidade de álcool para higienização ou há um vazamento no momento do uso. Ou ainda, o botão fica duro demais, o que acaba dificultando a obtenção do volume necessário para higiene das mãos.

Já em relação a quantidade de dispensers, para que se tenha a máxima eficiência e eficácia de utilização, é necessário instalar tais suportes em locais adequados. Ou seja, locais que facilitem bastante o acesso ao uso produto. Caso contrário, há um investimento em bons dispensers que não serão utilizados nos momentos mais apropriados.

3 – Não uso pela má qualidade do álcool gel, espuma ou spray

Alguns tipos de álcool, conhecidos como os de baixa qualidade, acabam proporcionando a sensação de grude nas mãos após a sua aplicação. Isso resulta na repulsa imediata pelo produto.

O baixo volume gerado pelos apertões nos botões dos dispensers também é relatado por alguns usuários como negativa ao uso frequente.

Além disso, a baixa qualidade também pode proporcionar o ressecamento do produto e o posterior entupimento do sistema. Ou seja, o usuário aperta e o produto não sai. E o pior: quanto menos utilizamos o produto, mais entupido fica o sistema, até se tornar inutilizável.

Por isso, muitas pessoas que passam por experiências negativas como esta, ao precisar utilizar novamente o produto, se lembram de tal experiência e se abstém de utilizá-lo novamente.

4 – Não uso porque demora muito para fazer higienização das mãos na correria do dia-a-dia

Vejamos, para a lavagem com sabonetes e água ser feita de modo correto é indicado que a mesma dure, no mínimo, 40 segundos. Percorrendo, assim, todas as partes das mãos, incluindo pontas de dedos, vãos dos dedos e unhas.

Já o tempo recomendado para higienização das mãos com álcool em gel, é de 20 a 30 segundos. Apesar do tempo ser menor, ainda assim parece muito tempo ao usuário. Especialmente quando se tem um dia bastante corrido e não se sabe o tamanho do risco que se corre.

Entretanto, há no mercado algumas opções de produtos que agem mais rapidamente e em menor tempo, como o Álcool Opticare da Oleak. É necessário apenas 10 segundo para a sua ação e, por isso, vale muito a pena ser utilizado.

A escolha do álcool antisséptico para as mãos

Em suma, de acordo com a Anvisa, a concentração mínima do produto deve ser de 60% (para a forma líquida) e 70% (para as formas em gel ou espuma).

Qualquer variação superior ou inferior a esta não irá higienizar as mãos corretamente. Além disso, também é recomendado se atentar as seguintes recomendações, no momento da compra:

  • Verificar se o álcool tem registro na Anvisa;
  • Escolher um produto com boa tolerância cutânea, para evitar o aparecimento de dermatites;
  • Procurar por fórmulas com emolientes, como o glicerol, isso evita o ressecamento da pele em longo prazo;
  • Dar preferência por produtos sem cheiro forte. Um odor muito ativo pode causar alergias em funcionários e pacientes;
  • Utilizar álcoois transparentes ou incolores;
  • Se atentar ao tipo de dispenser de álcool gel ou espuma, ele deve liberar uma quantidade condizente do produto com os laudos de comprovação de eliminação das bactérias;
  • Escolher produtos com secagem rápida para não atrapalhar o tempo dos demais procedimentos médicos;
  • Observar a presença de desnaturante na fórmula. Isso garante um sabor amargo ao álcool antisséptico e evita a ingestão acidental por crianças e pacientes dependentes.
  • Observar estudos desenvolvidos pelos fabricantes que possam trazer algum diferencial para sua escolha.

Conclusão

Estamos em um país em que há inúmeras necessidades de primeira ordem e, por isso, acabamos nos esquecendo do quão fundamental seria investir em produtos de qualidade.

Quando o assunto é álcool em gel, encontramos muitas empresas e pessoas resistentes a sua utilização e que nos dão uma série de justificativas para isso. Dentre elas: baixa qualidade, ressecamento das mãos, falta de dispensers e a falta de tempo para higienização constante das mãos.

É de suma importância lembrar que as mãos são o meio principal de transmissão de doenças e que, a higienização correta é fundamental para garantir a saúde individual e coletiva.

Em conclusão, já temos há muitos anos no país, produtos importados que possuem um alto padrão de qualidade. Além também de produtos nacionais de altíssima qualidade. Como por exemplo da Oleak – importante fabricante nacional. Que dispõe no mercado produtos que “desinfetam” as mãos, ao mesmo tempo em que hidratam a pele e que ainda possui ação extremamente rápida.

Para ver a nossa linha completa de álcool em gel, spray e espuma, clique aqui.

Fonte: