Álcool gel – Devo ficar sossegado ao utilizar?

A busca e uso do álcool gel foi multiplicada por 10 em muitas regiões do país, mas certamente o seu uso não deve ser o único cuidado, tão pouco devemos ficar tranquilos e achar que estaremos protegidos somente ao utilizar tal produto.

Por isso, nesse artigo, mostraremos como estão as informações a quase 8O dias do primeiro caso de COVID-19.

Nossa intenção, com isso, é contribuir com suas decisões, para tanto apresentamos dados e informações, a fim de que suas opções, ligadas a seu direito de ir e vir, hoje e amanhã, sejam minimamente impactados.

Infelizmente uma vez infectado, seu direito deverá ser reduzido, a fim de não impactar no direito dos outros cidadãos e vice-versa.

Portanto entender o que deve ser feito é valioso, especialmente encontrar alternativas que minimizem o impacto no nosso dia a dia.

SÍNTESE

Em suma, fizemos um estudo e reunimos nesse artigo tudo que foi apurado até agora sobre esse tema. Assim, temos aqui a origem da doença, comparações e medidas sobre prevenção. As medidas foram baseadas na vivência de nossa equipe junto ao combate de bactérias multirresistentes no ambiente hospitalar, que certamente são muito mais letais que o Coronavírus.

Somos defensores de que a vivência e aprendizado sempre devem ser acessados, especialmente em momentos desafiadores. O momento assim o requer.

Diferença entre o Covid-19, o resfriado e a gripe

Primeiramente, precisamos conhecer a diferença entre o Covid-19, o Resfriado e a Gripe. Vamos lá?

Resfriado

Quando dizemos que estamos gripados, na maioria das vezes é possível que estejamos apenas com resfriado. Os sintomas do resfriado são dor de cabeça, coriza, febre sempre baixa e alguma tosse. Deste modo, eles são leves e duram pouco mais de uma semana, sem necessidade de remédios mais importantes.

Gripe

Entretanto, a gripe é uma doença bem mais importante, causada por variações do vírus Influenza. Os sintomas são febre alta, dores no corpo, tosse, coriza, problemas respiratórios e pode ser até letal, especialmente para pessoas mais velhas ou baixa imunidade, por exemplo. Anualmente, há vacinas que protegem contra as diferentes versões dos vírus que causam a gripe (H1N1, H3N2, etc…).

Covid-19

No entanto, a Covid-19 lembra os sintomas da gripe, mas é causada por um outro vírus, seu nome SARS-cov-2, da família dos coronavírus – um grupo totalmente diferente do Influenza. Alguns coronavírus circulam causando resfriados comuns, sem muitas complicações.

Por outro lado, outros provocam doenças mais importantes, como a MERS (Síndrome Respiratória do Oriente Médio), a SARS (Síndrome Respiratória Aguda Grave) e a própria Covid-19.

Para falar em pandemia, no sentido de definição da OMS, em 2009 vivemos uma pandemia de gripe, na época foi a chamada Gripe A ( H1N1 ), depois seu nome alterado para gripe suína.

Desta forma, vamos focar nessa gripe e compará-la com o COVID-19, por se tratar de uma lembrança mais recente.

Na ocasião, a utilização de álcool em gel também foi amplamente disseminada e mostrou-se uma importante barreira contra a gripe de um modo geral.

  • Propagação e Origem

“Sabemos que o cenário do H1N1 foi mais rápido”

H1N1

Data de 2009, no México. População cerca de 130 milhões de pessoas, sendo a 13ª economia global.

Coronavírus

Começou na China, população cerca de 1,4 bilhão de pessoas, sendo a 2ª economia do mundo, tem volume de conexão global muito maior que o México em 2009.

Em 2020 o mundo está ainda mais globalizado que antes, portanto a propagação ficaria muito ampliada.

No entanto como a doença teve seu potencial identificado com maior rapidez e as medidas estão sendo tomadas mais energicamente, os dados indicam a propagação mais rápida do H1N1 em 2009.

  • Sintomas

“São semelhantes”

Em suma, os sintomas são semelhantes ao de uma gripe, tais como: febre alta, dores, tosse, cansaço, vômito, diarreia. Casos graves podem evoluir para pneumonia, insuficiência renal ou cardíaca e morte.

Por serem semelhantes, um método seguro de identificação seriam mesmo testes laboratoriais, quando o profissional da saúde assim julgar adequado.

  • Transmissibilidade

“O COVID-19 é muito mais transmissível”

H1N1

Cada paciente, diagnosticado com a doença, transmite para mais 1,5 pessoas.

Coronavírus

Cada paciente, diagnosticado com a doença, transmite para mais 2,5 pessoas.

  • Mortalidade

“Ainda duvidoso, no entanto ambas são graves”

H1N1

As gripes sazonais também levam pessoas a óbito (cerca de 0,7% das pessoas infectadas). No entanto, a H1N1 tem estudos que desmontaram a letalidade do vírus em cerca de 1%. Outras análises, posteriormente indicaram outros índices, ora maiores, ora menores.

Deste modo, esse vírus se demonstrou agressivo mesmo em pacientes não idosos.

Coronavírus

Inicialmente as estimativas da OMS indicaram um índice de mortalidade de 3,4% sobre as pessoas infectadas. Esse número, porém, ainda pode variar quando mais testes forem realizados em pessoas que hoje reportam apenas gripe sazonal, mas poderiam estar com o COVID-19.

Em Abril de 2020, os números atualizados demonstram uma taxa de letalidade próxima a 6% no mundo e no Brasil a taxa é bem próxima da média mundial.

Esse vírus está sendo menos agressivo com crianças e adultos jovens, podem até mesmo não ter sintomas ou tê-los de modo brando, onde passam a transmitir sem que saibam dos riscos para a comunidade que vivem.

Por outro lado, para pessoas mais idosas e com problemas de saúde o risco aumenta.

  • Tratamento

“Cenário do coronavírus é mais grave”

H1N1

Na época foi descoberto que um medicamento antiviral já existente, o Oseltamivir, ou Tamiflu, tinha efeito. Depois, foi desenvolvida uma vacina, usada até hoje.

Coronavírus

Ainda não existe medicação para combate. As pesquisas estão em curso acelerado. O tratamento, por ora, consiste em combater os sintomas, repouso e hidratação.

Cerca de 80% das pessoas infectadas não apresentarão nenhum sintoma ou apresentarão algum sintoma leve.

Na medida do possível, evitar ir a hospitais, buscando postos de saúde como alternativa. Ir a hospitais aumenta nosso risco de contágio além de colaborar com o estrangulamento do sistema de saúde e prejudicar a saúde dos profissionais de saúde de modo direto.

Um pouco da História das Gripes

2009 – Gripe Suína

A pandemia mais próxima causada pela A (H1N1). Provavelmente o vírus veio do porco e de aves. O primeiro caso foi registrado no México. Como resultado, quase 300 mil pessoas morreram. Já o fim da pandemia foi em agosto de 2010.

1968 -1969:  Gripe de Hong Kong – (H3N2)

A terceira pandemia do século XX matou cerca de 1 milhão de pessoas entre 1968 e 1969. É provável que o vírus tenha sido transmitida por aves.

1957 – Gripe Asiática

Do mesmo modo que o Corona Vírus, este também teve início na China e matou cerca de 2 milhões de pessoas.

1918 -1919:  Gripe Espanhola, a pior de todas as pandemias

Iniciou nos Estados Unidos, entre soldados, em 1918. Acredita-se que cerca de 50 milhões e 100 milhões de pessoas tenham sido mortas em decorrência até 1919. Com isso, cerca de 40% da população mundial foi infectada.

Evitar o Coronavírus ( COVID-19 ) – Medidas preventivas

Álcool gel – Tranquilo ao usar ?

Usar com frequência o álcool gel sim vale muito a pena em relação a medida preventiva, mas de longe deve ser a única medida adotada! Falaremos agora de outras medidas de grande relevância a fim de contribuir com o momento de luta contra esse vírus. Fique conosco para ler!

Antes de mais nada, para falar de medidas é importante ressaltar, que estamos falando de um vírus, e os vírus tem um comportamento conhecido da ciência, ainda que a vacina não tenha sido encontrada até agora.

Já conhecemos quais são os meios de transmissão e que, por se tratar de vírus, sabemos que no ambiente e superfícies ele tem pouca sobrevivência, no máximo algumas horas, até 24.

No entanto as horas em que ele é viável podem ser fatais. Por exemplo: caso sua pele, especialmente as mãos, toquem as superfícies e sejam levadas ao rosto, olhos, bocas, alimentos, outras pessoas, etc.

Assim também fica claro que as superfícies mais tocadas, como maçanetas, portas, teclados, máquinas de café, mesas, elevadores, corrimãos apresentam alto potencial de contaminação e, por isso, devem ser limpos continuamente. A dica aqui para limpar as superfícies é usar um limpador desinfetante, como o Garra Oxiativo em um pulverizador.

Então podemos concluir, com certeza, que em nossa pele os vírus têm uma vida muito mais longa e durante a sua existência, são transmissíveis.

10 medidas para prevenir

Dai então temos as medidas advindas de todas essas observações e constatações:

  • Mantenha distância segura de pessoas quando for tossir ou espirar, e especialmente use lenços de papel ou papel de toalha para conter nossas gotículas;
  • Na ausência de papéis, use a “etiqueta da tosse”, ou seja: espirre ou tussa na parte interna dos braços;
  • Não compartilhe objetos de uso pessoal, tais como: telefones, pratos talheres, copos, etc.;
  • Faça uma boa limpeza no seu espaço de trabalho individual, seja ele uma mesa, máquina, computador, painéis, veículos, etc. De preferência ao uso de produtos de boa qualidade e panos descartáveis como wipers e panos multiuso, evitando assim a proliferação de vírus e bactérias;
  • Proteja suas mãos! Lave as mãos com água e sabonete líquido ou espuma, nunca use sabonetes de barra em ambientes empresariais;
  • Álcool gel nas mãos várias vezes por dia, desde que as mãos não estejam visivelmente sujas.

Certamente, as ações de higienização das mãos devem ser realizadas não só com produtos de qualidade mas também com qualidade na execução.

Caso tenha dúvidas em como realizar, entre em contato com nossa equipe e busque aprender como fazer. Se for possível escolher, opte por álcool em gel e sabonetes com alta qualidade e alto nível de hidratação, pois produtos de qualidade duvidosa podem trazer problemas para nossa pele. Consulte aqui alguns artigos sobre o tema.

  • Evite aglomerações, especialmente se tiver doente;
  • Siga as recomendações da autoridade sanitária local (Prefeitura) e nacional (Anvisa);
  • De preferência para realizar as atividades e reuniões em meios virtuais ao invés das presenciais;
  • Mude a forma de cumprimentar seus colegas, amigos e familiares, pelo menos por um tempo. Assim, você irá reduzir o contato da pele com secreções;
  • Procure os hospitais apenas quando os sintomas forem muito severos e para urgências médicas. Para os primeiros sintomas e até mesmo sintomas mais leves, busque primeiramente os postos de saúde, são mais de 42 mil postos espalhados pelo país.

Outros impactos

Provavelmente, as medidas de contenção do contágio do Coronavírus induzirão uma redução da atividade econômica onde os empregos certamente serão reduzidos.

Assim, quanto maior for a necessidade e a adoção de medidas extras para evitar a propagação do vírus, como exemplo a proibição de que os cidadãos saiam de suas casas, maior será a retração econômica do país.

Portanto, quanto mais aderentes formos às atuais medidas, menor a necessidade de aprofundamento das medidas de contenção.

Da mesma forma as empresas devem se preparar para adicionar novas formas de atuar em sua produção e comércio de produtos e serviços, sob pena de ver os reflexos mais aprofundados ainda.

As empresas devem se preparar para algum nível de inadimplência e redução expressiva de alguns setores, bem como para ampliação de vendas de alguns setores, como por exemplo de álcool gel em seus vários formatos, tais como: refil, de mesa, de bolsa, pequeno, médio, grande, etc.

Conclusão

Com certeza, o que vai determinar o sucesso das medidas de contenção será como responderemos as exigências já solicitadas pelos órgãos sanitários e a nossa adesão as dicas aqui apresentadas.

Certamente a maioria das medidas contribuem para a melhoria da nossa condição de saúde.

Como já nos disse o chefe da Organização Mundial da Saúde: “ Devemos encontrar um equilíbrio entre proteção da saúde, barreiras às perturbações econômicas e sociais, além do respeito aos direitos humanos”.

Finalmente devemos dizer que as decisões são sempre nossas, devemos ter a serenidade necessária e proporcioná-la aos nossos pares a fim de encontrar a medida equilibrada para trabalhar e proteger, seja em tempos de calmaria ou de caos, que afinal de contas é o nosso tempo!!