Produtos de limpeza profissional

A década de 1980 foi marcada por muitos ícones e um deles é o personagem MacGyver. Protagonista de uma série de televisão americana. Ele ficou famoso por resolver todos os seus problemas com muita criatividade e conhecimento militar e científico.

No Brasil, a série ganhou o nome de “Profissão: Perigo”, já que os “problemas” de MacGyver sempre o colocavam em risco de morte.

Sabemos que algumas profissões carregam o adjetivo “perigosa” ao seu lado, por exemplo: bombeiros, policiais, eletricistas, mineradores, dentre outros. Mas você imagina que “empregada doméstica” também figura nesta lista?

Empregados da limpeza: Profissão Perigo

De acordo com a Agência Européia para a Segurança e Saúde no Trabalho, os empregados da limpeza estão em 6º colocado na classificação das profissões que apresentam maiores riscos à saúde. Isso ocorre por conta da exposição aos produtos que eles utilizam em sua rotina diária.

Todos concordam que a exposição sem proteção a produtos químicos (como os produtos de limpeza profissional) pode comprometer a nossa saúde. Mas poucos de nós tomam as medidas necessárias para evitar este contato incorreto.

detergente

Detergente garra

Orientações da Anvisa

ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) orienta a todos que utilizam domissanitários que leiam os rótulos para evitar contaminação pelo uso incorreto de determinado produto. As informações devem esclarecer a quantidade a ser aplicada, os agentes que compõem o produto, assim como avisos de perigo.

Mas, apesar de nossos receios quanto aos produtos químicos e das orientações da ANVISA e dos fabricantes. Muitos profissionais da limpeza profissional não tomam os devidos cuidados e se expõem aos perigos da contaminação.

Misturar água sanitária com amaciante ou desentupidor de pia com detergente, por exemplo, ao invés de potencializar a limpeza como muitos acreditam, podem causar reações químicas perigosas para a saúde.

E qual a causa dessa atitude?

Algumas pesquisas mostraram que as características que mais atraem o consumidor na hora de adquirir um produto de limpeza são: a cor, o odor e a aparência da embalagem.

Sendo assim, na hora da aplicação desse mesmo produto, o cheiro agradável de limpeza que ele proporciona é o que indica se ele é eficaz. Ficando em segundo plano a maneira como ele foi aplicado.

 Conclusão

Uma pesquisa feita pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) indicou que 24% das empregadas domésticas tiveram algum problema de saúde relacionado ao uso de produtos de limpeza já no primeiro emprego enquanto que 77% tiveram no terceiro emprego.

Infelizmente, como a maioria destes profissionais trabalham de maneira informal, esses dados permanecem invisíveis ao poder público. Impedindo que políticas de prevenção sejam criadas evitando o mau uso dos produtos.

Em suma, a leitura do rótulo dos domissanitários é o segredo para a utilização segura e eficiente desses produtos, garantindo a desinfecção dos ambientes sem abrir mão do “cheirinho de limpeza”.

REFERÊNCIAS

//portal.anvisa.gov.br/wps/wcm/connect/288865804745965e9e2ade3fbc4c6735/guia_didatico.pdf?MOD=AJPERES

//mulher.uol.com.br/casa-e-decoracao/noticias/redacao/2013/05/15/alguns-produtos-de-limpeza-podem-fazer-mal-a-saude-conheca-alternativas.htm