A pele é nossa capa protetora, nosso cobertor, nossa primeira camada que toca o mundo externo ao nosso corpo. Nossa pele está, permanentemente, exposta às mudanças climáticas, às substâncias e aos agentes patológicos presentes no ar, às texturas e ao contato com os outros seres.

Dessa forma, o cuidado com a pele é um cuidado que reflete em prevenção para todo o nosso organismo. Então, nada mais coerente do que escolher os produtos de limpeza e hidratação da pele que sejam seguros, eficazes e que tratem de manter a pele, nossa proteção, também protegida.

Pensando na importância do uso de produtos de limpeza, higiene e proteção da pele, preparamos este artigo. Ele é como um guia, para que você possa navegar pelos temas que mais lhe interessam e absorver o máximo das informações relevantes para a escolha do melhor item de cuidado dermatológico. Vamos lá? Se desejar você poderá navegar entre os tópicos.

produtos de limpeza para pele

Nos dias de hoje é muito importante conhecer as novas tecnologias e produtos para os cuidados com a pele.

 

1.   O que é a pele?

Para começar, vamos entender o que é a pele e qual sua função no corpo humano. A pele é um órgão, o maior deles. Ela mede, se esticada da cabeça aos pés, aproximadamente, dois metros quadrados e pode pesar de quatro até nove quilos em uma pessoa adulta.

A pele é essencial para a sobrevivência dos seres humanos, pois como dissemos no início, ela serve como um capa protetora, um escudo poderoso contra agentes nocivos à saúde que estão presentes no meio ambiente, como bactérias e vírus.

Essa camada, que reveste nosso corpo, é responsável também por funções fundamentais para manutenção da vida, como a regulação térmica e as funções sensoriais (tato, pressão, frio, calor, dor, entre outras).

O tecido da pele desempenha ainda o papel de órgão excretor, já que por meio dos poros elimina algumas substâncias que precisam ser descartadas do organismo.

É bastante coisa, não é mesmo? Veja agora algumas curiosidades sobre a pele para compreender melhor a importância do cuidado e proteção com os produtos de limpeza de pele ideais.

2.   Camadas e curiosidades sobre a pele

Além de ser o maior órgão do corpo humano, a pele é um dos mais versáteis também e realiza muitas funções importantes ao longo de suas camadas (epiderme, derme e hipoderme).

O que é Epiderme?

A epiderme é a camada mais externa da pele, aquela que podemos ver a olho nu. Sua principal função é formar uma barreira protetora para o corpo, bloqueando danos externos e dificultando a saída de água do organismo.

Na epiderme, temos as células que produzem melanina, o pigmento que dá cor à pele. É a partir da epiderme também que se originam unhas, pelos, glândulas sudoríparas e glândulas sebáceas.

Derme

Agora temos a camada intermediária da pele, a derme, que é formada por fibras de colágeno, elastina e gel coloidal, responsáveis por oferecer tonicidade, elasticidade e equilíbrio à pele.

A derme é feita também por uma grande quantidade de vasos sanguíneos e terminações nervosas. Estas terminações recebem os estímulos do meio ambiente e os transmitem ao cérebro, por meio dos nervos.

Os estímulos, por sua vez, são transformados em sensações, como dor, frio, calor, pressão, vibração, etc. Na derme estão os folículos pilosos, os nervos sensitivos, as glândulas sebáceas, que produzem sebo, e as glândulas sudoríparas, responsáveis pelo suor.

O que é a Hipoderme?

 A terceira camada da pele é a hipoderme, formada por células de gordura, e sua espessura pode variar bastante, de acordo com a constituição física de cada indivíduo.

A hipoderme é a cola que liga a epiderme e a derme ao resto do seu corpo e mantém a temperatura, além de acumular energia para o desempenho das funções do organismo.

Em um único centímetro de pele tem-se:

  • 65 pequenos músculos ligados aos pelos;
  • 70 receptores do calor;
  • 15 receptores do frio;
  • 100 glândulas sebáceas;
  • mais de 500 glândulas sudoríparas;
  • dezenas de milhões de células.

Ainda sobre a pele, ela:

  • guarda o calor nos dias frios e o frio nos dias quentes;
  • reserva água para ser usada pelo organismo quando necessário;
  • controla a pressão sanguínea;
  • produz vitamina e elimina substâncias tóxicas;
  • capta informações do ambiente e transmite outras;
  • espessura de 0,4 a 2 milímetros;
  • não é rígida e se adapta à parte do corpo que reveste;
  • possui nervos, glândulas e músculos.

3.   Quais os tipos de pele?

Bem, agora que sabemos um pouco mais sobre a pele, vamos conhecer seus tipos e os chamados fototipos.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), a pele pode ser classificada em quatro tipos: normal, seca, oleosa e mista. Veja a seguir um pouco das características de cada um:

Normal

Este tipo de pele possui textura saudável e aveludada. Produz gordura em quantidade adequada, sem excesso de brilho ou ressecamento. Na maioria dos casos, a pele normal apresenta poros pequenos e pouco visíveis.

Seca

A pele seca se dá pela perda de água em excesso e, normalmente, tem poucos poros visíveis e pouca luminosidade. A pele seca tem mais chances de descamar e ficar com vermelhidões.

A pele seca pode ser um reflexo tanto de fatores genéticos ou hormonais, como de condições ambientais e externas, como o tempo frio, o vento, além de banhos demorados e com água quente.

Oleosa

Já a pele oleosa é o oposto da seca. Tem aspecto mais brilhante e espesso, em razão da produção maior de sebo, poros dilatados e maior tendência ao aparecimento de cravos e espinhas.

Sua causa também pode ser genética, além da exposição excessiva ao sol, o estresse e uma dieta rica em alimentos com alto teor de gordura. A pele oleosa apresenta poros dilatados e maior tendência à formação de acne, de cravos e de espinhas.

Mista

Por fim, temos a pele mista, que é o tipo de pele mais comum. Ela tem aspecto oleoso e poros dilatados concentrados na chamada “zona T” (testa, nariz e queixo). Já nas bochechas e extremidades é mais seca.

Fototipos de pele

 A pele é diversa e colorida. A diferença da cor da pele dos seres humanos está relacionada a uma série de fatores, segundo a SBD.

Quando se fala de pigmentação constitutiva da pele, fala-se do que é herdado geneticamente, sem interferência da radiação solar.

Já a cor facultativa da pele é reversível e pode ser induzida, trata-se assim do resultado da exposição ao sol.

Há uma classificação de fototipos de pele, chamada classificação de Fitzpatrick, criada em 1976 pelo médico norte-americano Thomas B. Fitzpatrick.

Ele classificou a pele em fototipos de um a seis e partir do critério relacionado à capacidade de cada pessoa em se bronzear, ter sensibilidade ou vermelhidão durante a exposição solar.

Assim, temos:

  1. Pele branca – sempre queima – nunca bronzeia – muito sensível ao sol;
  2. Pele branca – sempre queima – bronzeia muito pouco – sensível ao sol;
  3. Pele morena clara – queima (moderadamente) – bronzeia (moderadamente) – sensibilidade normal ao sol;
  4. Pele morena moderada – queima (pouco) – sempre bronzeia – sensibilidade normal ao Sol;
  5. Pele morena escura – queima (raramente) – sempre bronzeia – pouco sensível ao sol;
  6. Pele negra – nunca queima – totalmente pigmentada – insensível ao sol.

Cada tipo de pele e cada fototipo têm suas características específicas. Conhecê-los é fundamental para que a escolha do produto de limpeza para pele seja a melhor e mais adequada, já que as demandas e necessidades são diferentes.

 4. Quais os tipos de produtos e acessórios disponíveis para limpeza e cuidados com a pele?

As prateleiras dos mercados e das farmácias estão tomadas por produtos de limpeza e cuidado com a pele que prometem milagres.

Há centenas de opções disponíveis, mas é preciso ter conhecimento e orientação para não adquirir itens desnecessários e até prejudiciais à pele.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), para um cuidado essencial com a saúde da pele, são necessários três aspectos: higiene, hidratação e proteção solar.

Veja como é a realização de cada etapa:

Higiene

Para manter a pele limpa dos poluentes e também para a remoção de agentes, é recomendada a sua limpeza frequente. No caso da pele do rosto duas vezes ao dia, de manhã e à noite.

A indicação é usar o sabonete adequado para cada tipo de pele, de preferência, o sabonete na sua apresentação líquida.

Para peles oleosas e mistas, o melhor é optar por sabonetes à base de ingredientes adstringentes que realizam a remoção das impurezas e a desobstrução dos poros.

Já para a pele seca e normal, os sabonetes líquidos com pH neutro são os mais indicados.

Outro item de limpeza usado na limpeza da pele do rosto são os tônicos. Eles ajudam a remover os traços de óleo, sujeira e maquiagem com mais eficácia do que o sabonete.

Hidratação

Hidratar a pele é fundamental para a manutenção do viço e da beleza, além de manter a integridade da camada de proteção cutânea e evitar danos como ressecamento, envelhecimento precoce, irritações e infecções.

A recomendação é usar diariamente hidratantes indicados para cada tipo de pele e que sejam específicos para o rosto e o corpo.

Vale destacar que as peles oleosas também precisam de hidratação e, no caso dela, a indicação é o uso de um produto oil free, à base de água, que não cause aumento da oleosidade.

A hidratação da pele também vem de dentro. Por isso, é essencial manter o consumo de água em quantidade adequada e se alimentar de forma saudável.

Proteção solar

Proteger a pele da radiação ultravioleta (UV) é proteger a vida, pois o efeito cumulativo à exposição intensa ao sol pode provocar alterações significativas na estrutura da pele, como o surgimento de pintas, sardas, manchas, rugas e problemas mais graves como câncer de pele (o carcinoma basocelular, o carcinoma espinocelular e o melanoma).

De acordo com a SBD, a maioria dos cânceres da pele está relacionada à exposição ao sol, então, todo cuidado é pouco.

A recomendação dos especialistas é, ao sair ao ar livre, procurar por sombra, principalmente no horário entre as 10 e 16 horas, e usar sempre protetor solar com fator de proteção solar (FPS) 30 ou maior.

Usar roupas apropriadas, chapéu de abas largas e óculos escuros de qualidade também complementam as ações de proteção da pele contra os raios solares.

Aqui, vale destacar que, ao escolher os produtos para limpeza, hidratação e proteção da pele, é preciso considerar, além do tipo e da cor, a faixa etária, pois há componentes indicados para pessoas idosas e componentes que podem ser tóxicos para as crianças, por exemplo.

É preciso ter atenção à recomendação de idade do fabricante, certo?

nano ativos em cosméticos

Nanoativos em cosméticos: Nos dias de hoje existem diversas novidades no segmento da beleza.

5. Legislação e vigilância dos produtos para limpeza da pele

Para realizar a escolha pelo melhor produto para limpeza e cuidado com a pele, além de conhecer as especificidades de cada tipo de pele e a situação na qual cada pessoa está inserida em seu dia a dia, é indispensável saber da procedência dos cosméticos.

Dessa forma, ao procurar pelo item de higiene da pele, busque pela informação de regularização nos órgãos responsáveis.

No Brasil, os produtos cosméticos, de higiene pessoal e perfumes estão sujeitos ao controle de Vigilância Sanitária e são classificados conforme o grau de risco à saúde: Grau I (produtos de notificação) e Grau II (produto com registro).

No âmbito federal, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é o órgão responsável por estabelecer as normas e procedimentos para o registro (autorização de comercialização), fabricação, rotulagem e venda dos produtos relacionados ao cuidado com a pele, que devem ser atendidos por fabricantes nacionais ou estrangeiros.

Em 2015, a Anvisa fez uma atualização das regras de cosméticos e os produtos cosméticos passaram a ser isentos de registro, mas ainda sujeitos à comunicação prévia antes de sua comercialização. A medida está na resolução RDC 07/2015 e os fabricantes devem entrar em contato com a Anvisa para a regularização.

No entanto, alguns produtos são exceção e precisam ainda do registro e da análise da Anvisa por conta do maior risco associado. São eles: bronzeadores, produtos de alisamento capilar, protetor solar, repelente de insetos, gel antisséptico para as mãos e produtos infantis.

Além da Anvisa, há ainda as equipes regionais e municipais de Vigilância Sanitária responsáveis por executar a fiscalização na cadeia produtiva, desde a fabricação até a comercialização.

As equipes avaliam as técnicas e os métodos empregados na fabricação dos artigos, além de realizarem o monitoramento e a divulgação de informações sobre a  segurança dos produtos cosméticos e de higiene pessoal.

Para saber sobre a legislação, suspensão e informações sobre os produtos de higiene pessoal, é possível acessar o site da Vigilância Sanitária do Estado de São Paulo.

6. Uso doméstico e uso profissional dos produtos para pele

Nesse caminho que estamos percorrendo sobre produtos e cuidados com a pele, vimos o quanto é importante e essencial para nosso corpo prezar pela higiene, pela hidratação e pela proteção dermatológica, não é?

Os cuidados com a pele podem ser realizados tanto em casa como em clínicas especializadas e por médicos dermatologistas. Estes últimos são capazes de uma avaliação mais profunda em relação à carência e às necessidades da pele do paciente e dispõem de produtos, medicamentos e tratamentos como uso de laser para recuperação e manutenção da saúde dermatológica.

Os recursos domésticos são diferentes dos recursos profissionais, no entanto, em ambos os casos, há necessidade do uso de produtos de limpeza de pele registrados, testados e autorizados.

7. Profissionais mais expostos e o cuidado com a pele

Para além das diferenças de tipos de pele, cor, faixa etária e cuidado doméstico e profissional, temos ainda uma gama de pessoas que, por conta de sua profissão, têm a pele mais exposta aos riscos do ambiente e à contaminações.

É o caso dos profissionais da saúde, como médicos e médicas e enfermeiras e enfermeiros, profissionais de clínicas de estética, salões de beleza e manicure e pedicure, tatuadores, além dos profissionais das equipes de limpeza de estabelecimentos corporativos e industriais.

A pele das mãos e do rosto dessas pessoas, que estão diariamente expostas aos agentes patológicos, como vírus e bactérias, e aos produtos químicos, deve estar constantemente protegida e hidratada.

A atenção com a pele desses profissionais vale inclusive para combater possíveis efeitos como o ressecamento da pele em razão do uso excessivo de luvas e máscaras de proteção, por exemplo.

De acordo com Manual do Sebrae de Orientações Técnicas de Serviços de Beleza, Estética e Bem-Estar, os profissionais devem atuar sempre com os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e oferecer sabonetes líquidos e antissépticos para higiene dos mesmos e dos clientes.

Outro espaço que também requer uso constante de EPI’s e de produtos e acessórios para limpeza da pele das mãos e higienização são as áreas de manutenção e produção de fábricas e cozinhas industriais de empresas, restaurantes e lanchonetes.

Nesses lugares, há necessidade de produtos capazes de limpar resíduos mais oleosos, por conta da gordura das preparações.

Assim, o uso de produtos de limpeza de pele e cuidado profissional é o mais recomendado para as pessoas que fazem uso obrigatórios dos EPI’s e que precisam manter a higiene constante das mãos, lembrando sempre de checar as indicações, a forma de utilização e os devidos registros dos cosméticos e artigos por parte dos órgãos fiscalizadores.

nano ativos em cosméticos

Nanoativos em cosméticos: Saiba escolher o produto correto para o seu tipo de pele.

8. Cuidados com uso de luvas e a pele das mãos

Como vimos acima, as luvas são descritas como itens de proteção individual obrigatórios aos profissionais da saúde e de espaços de beleza e estética.

A luva evita o contato direto com fluidos como sangue e outras substâncias e reduz as chances de contaminação e infecção.

De acordo com o Procedimento Operacional Padrão organizado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH), o uso de luvas não altera nem substitui a higienização das mãos e seu uso por profissionais deve ser restrito às indicações:

  • para proteção individual, nos casos de contato com sangue e líquidos corporais e contato com mucosas e pele não íntegra de todos os pacientes;
  • para reduzir a possibilidade de os microrganismos das mãos do profissional contaminarem o campo operatório (luvas cirúrgicas);
  • para reduzir a possibilidade de transmissão de microrganismos de um paciente para outro nas situações de precaução de contato;
  • realizar a troca de luvas sempre que entrar em contato com outro paciente;
  • trocar de luvas durante o contato com o paciente se for mudar de um sítio corporal contaminado para outro, limpo;
  • trocar de luvas quando estas estiverem danificadas;
  • nunca tocar desnecessariamente superfícies e materiais (tais como telefones, maçanetas, portas) quando estiver com luvas;
  • higienizar as mãos antes e após o uso de luvas.

Mas o uso da luva, dependendo da frequência e da qualidade do material, pode contribuir com o ressecamento da pele e, diante disso, é preciso um cuidado especial com higiene e hidratação das mãos.

Ainda segundo o Procedimento Operacional Padrão organizado pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH), para manter a pele das mãos íntegra e saudável, é indicado:

  • realizar a fricção das mãos com preparação alcoólica que contenha um agente umectante, capaz de agredir menos a pele do que a higiene com sabonete líquido e água;
  • usar cremes de proteção para as mãos ajuda a melhorar a condição da pele;
  • evitar o uso de água quente para lavar as mãos com sabonete líquido;
  • não calçar luvas com as mãos molhadas;
  • não higienizar as mãos além das indicações recomendadas;
  • não usar luvas fora das recomendações;
  • enxaguar abundantemente as mãos para remover resíduos de sabonete líquido e sabonete antisséptico;
  • secar cuidadosamente as mãos após lavar com sabonete líquido e água;
  • manter as unhas naturais, limpas e curtas;
  • deixar punhos e dedos livres, sem a presença de acessórios como relógios e pulseiras.

9. Quais os problemas e doenças de pele mais comuns?

No início deste material, vimos como a pele desempenha um papel vital aos seres humanos. Compreendemos que é preciso mantê-la limpa, hidratada e protegida para que suas funções possam ser mantidas.

Mas quando há algum descompasso genético, físico, metabólico ou emocional, a pele pode reagir por meio da manifestação de doenças dermatológicas. Separamos aqui as mais comuns. Veja só:

  • Vitiligo

O vitiligo causa a perda de coloração da pele em determinadas regiões. Doenças autoimunes e traumas psicológicos podem ser as causas de seu aparecimento.

  • Albinismo

É considerada uma desordem genética, na qual a produção de melanina é insuficiente, e, por esta razão, a pele, os cabelos e os olhos não têm pigmento.

  • Dermatite atópica

De origem genética, a doença crônica não é contagiosa. Ela provoca secura, coceira e vermelhidão na pele.

  • Dermatite de contato

Neste caso, a inflamação é causada por produtos, podendo ficar restrita ao local de contato ou expandir e causar alergia maior.

  • Eczema

Doença que provoca lesões como bolhas com água e secreções que formam crostas. Ela também aumenta a espessura da pele.

  • Escabiose (ou Sarna)

Causada por um por ácaro que procria na pele e as fezes do bicho são responsáveis por causar lesões.

  • Melasma

São manchas escuras na pele, principalmente no rosto, e atingem em especial as mulheres. O melasma está associado ao uso de anticoncepcionais e à exposição solar.

  • Psoríase

Doença crônica e não contagiosa, não tem sua causa conhecida ainda. É caracterizada pela vermelhidão, descamação e surgimento de manchas espessas na pele.

10. Novas tecnologias e produtos no mercado para os cuidados com a pele

Ao percorrer este material, você pode ter contato com informações importantes sobre a pele, sua importância e os cuidados que precisamos ter para mantê-la saudável.

E como o mundo é movimento, assim como a pele, que se estica, se adapta, e se renova, temos hoje novas ações, tecnologias e produtos que surgem para aprimorar e melhorar os cuidados com a saúde dermatológica.

Mas, antes de falar das novidades, vamos destacar aqui um dado relevante sobre o mercado de produtos voltados à pele.

De acordo a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos, os itens de cuidados com a pele tiveram um crescimento de 161,7% nas vendas, durante os dez primeiros meses de 2020, em relação ao mesmo período do ano anterior.

O período de isolamento em casa, imposto como medida de controle da Covid-19, pode ser apontado como uma das causas desse aumento, já que, com o tempo em casa e sem a necessidade de escolha de roupas, arrumação do cabelo, maquiagem, o foco passou a ser a realização de procedimentos de skincare.

Além disso, o uso do álcool em gel nas mãos e a quantidade elevada de lavagens deixam a pele mais ressecada que o comum, pedindo uso mais constante de hidratantes, da a importância de utilizar álcool gel de alta qualidade.

Outra questão é o uso constante de máscaras faciais para proteção contra o vírus que pode desencadear o aparecimento de espinhas no rosto, levando ao aumento significativo das vendas de artigos para tratamento facial.

O cenário positivo para o setor abriu também a possibilidade para o surgimento de diversos novos tipos de produtos, como os suplementos de colágeno, com nutrientes adequados para a manutenção da saúde da pele.

Outra tecnologia que surge e que ganha cada vez mais espaço são os nanoativos em cosméticos ou nanoativos /ativos nanoencapsulados, presente nos dermocosméticos mais modernos.

A inovação sai na frente com muitos benefícios. O tamanho muito pequeno é um dos grandes diferenciais, pois permite que os compostos tenham ação até nas camadas mais profundas da pele, enquanto os ativos convencionais ficam, em sua maioria, na camada mais superficial.

Outras vantagens que podemos destacar são o fato dos nanoativos em cosméticos contarem com nanocápsulas que protegem a substância que vai agir na pele das ações do meio externo, como luz e oxigênio, além dos nanoativos em cosméticos atuarem de forma direcionada e prolongada.

Por fim, podemos perceber o quanto a importância da pele, seus cuidados e desdobramentos fazem de um campo imenso, tão vasto e versátil quanto às funções e atividades dessa camada protetora do corpo humano.

11. Higiclear: produtos para limpeza e proteção da pele, no ambiente profissional

Para tornar a limpeza da pele das mãos algo seguro e eficaz, garantindo assim a proteção, a hidratação e a higienização adequadas, a Higiclear possui soluções modernas e práticas para clínicas estéticas e dermatológicas, hospitais, salões de beleza e estúdios de tatuagem atuarem de acordo com os protocolos de biossegurança e por meio de uma economia consciente.

Entre elas, podemos destacar o Creme Protetor e Hidratante New Eversoft, que forma uma fina camada de proteção sobre a pele, hidrata, amacia e deixa as mãos com aspecto uniforme.

Ele é ideal para ambientes corporativos que se preocupam com a pele dos profissionais que fazem a lavagem constante das mãos ao longo do dia, pois ele devolve a devida hidratação da pele e a recondiciona.

Seu uso é recomendado antes de iniciar as atividades no trabalho e ao final do expediente, para que possa auxiliar na manutenção da barreira protetora natural da pele. Para casos em que a pele já está ressecada ou danificada, a recomendação é aplicar após toda lavagem.

Outro produto de limpeza para pele profissional é o Sabonete Opticare Toilete, um sabonete em forma de espuma, de alta performance, que não possui fragrância, corantes, conservantes ou qualquer outro agente que possa desencadear alergias ou irritações para a pele.

Desta forma, ele é enriquecido com aditivos com propriedades antioxidantes que estimulam a regeneração celular, sendo assim muito mais que um sabonete para as mãos. Proporcionando assim, uma limpeza eficiente, além de manter a pele íntegra, saudável e macia.

Para completar, temos ainda o Álcool Gel Hidratante Opticare IHS Espuma, que higieniza em apenas dez segundos vírus e bactérias e tem uma carga extra de vitaminas para a pele.

Então, além de higienizar, ele hidrata. Seu uso é recomendado em hospitais e em clínicas e em todos ambientes onde há preocupação com a pele da mão de seus profissionais, devido ao uso constante do álcool.

Aproveitando, caso queira saber mais profundamente com funciona a higiene das mãos e pele, consulte nosso artigo que trata sobre o tema.

Bem, chegamos ao final de nosso material sobre produto de limpeza para pele profissional e esperamos que as informações compartilhados sejam instrumentos valiosos para orientar o caminho.

Nós, da Higiclear, esperamos ter contribuído de maneira positiva para uma maior consciência em relação aos cuidados com a pele, sua higiene e proteção.

Aproveite também para conhecer o nosso episódio do podcast que fala sobre os produtos de limpeza para a pele.

Para saber mais sobre a Higiclear e conhecer nossos produtos de limpeza e higienização profissionais, acesse nosso site. Até mais!

Referências:

Revista Superinteressante

Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia

Sociedade Brasileira de Dermatologia

Centro de Vigilância Sanitária do Estado de São Paulo

Anvisa

Anvisa

Sebrae

EBSERH

ABIHPEC